Canadá continua sendo destino preferido de estudantes mesmo com pandemia


Em qual país você gostaria de estudar antes da pandemia? E agora, a sua vontade continua a mesma? Segundo uma pesquisa da AECC, um em cada cinco estudantes mudou de destino de estudo desejado como resultado da pandemia da Covid-19. A maioria agora quer estudar no Canadá.

Onde você quer estudar no exterior?

A pesquisa, chamada AECC Global International Student Survey Insights, recebeu respostas entre 28 de setembro e 18 de outubro de mais de 7.400 pessoas de 147 países, embora a China, que é um dos maiores focos de estudantes internacionais do mundo, não tenha sido um dos participantes.

O objetivo era entender quais seriam as escolhas dos estudantes após a pandemia; quais são as suas considerações em relação à parte financeira da experiência; quão preparados os respondentes estão para estudar em outro país em um cenário pós-pandêmico, inclusive se já estão vacinados; e quais são os fatores principais para escolher o destino de estudo atualmente.

Os Estados Unidos e a Austrália foram os que mais apareceram nas respostas dos alunos que disseram ter mudado de destino por causa da pandemia. Respectivamente, 27% e 15% sugeriram que agora teriam menos intenção de estudar nos dois países.

Enquanto 36% das pessoas que mudaram de destino disseram preferir estudar no Canadá, outros 21% prefeririam o Reino Unido e apenas 2% indicaram a Nova Zelândia (que, por enquanto, deve permanecer com suas fronteiras fechadas por causa da pandemia até metade de 2022).

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Planos adiados e vacinação

Além disso, 51,6% postergaram os planos de estudar no exterior como resultado da pandemia. Entre as principais razões, os respondentes apontaram questões financeiras e as fronteiras fechadas dos grandes destinos.

Muitos dos interessados em estudar no exterior não puderam esperar pela reabertura do destino desejado, por isso acabaram escolhendo estudar em outros países com políticas mais flexisíveis.

No entanto, mesmo países que voltaram a receber estudantes internacionais com mais rapidez estipularam procedimentos de segurança, como testes de Covid-19, uma quarentena obrigatória e, agora, a comprovação da vacinação.

Na pesquisa, aproximadamente 49,95% indicaram já estar com a imunização completa; outros 24,07% planejam ser vacinados em breve e 9,97% estão aguardando a segunda dose.

Entretanto, cerca de 40% dos estrangeiros que pretendem estudar no exterior foram vacinados com Coronavac ou outra vacina que ainda não é reconhecida pela maioria dos principais destinos de estudo do mundo – embora isso possa mudar a qualquer momento.

No Canadá, por exemplo, estudantes internacionais com uma ou duas doses de uma vacina não autorizada pela Health Canada devem tomar uma dose adicional de uma vacina de mRNA após chegar ao país, com um intervalo mínimo de 28 dias entre a dose anterior. Caso já tenham recebido três doses da vacina, a adicional não será necessária.

Aulas presenciais

A pesquisa também descobriu que apenas 4,3% desistiram definitivamente de estudar no exterior e que 77,4% dos alunos se sentem pessimistas, neutros ou não têm certeza sobre os estudos online.

Portanto, os estudantes estão buscando opções onde possam ter a experiência presencial completa no campus no exterior.



Fonte

Com professores super atenciosos, o cursinho me abriu uma porta para o futuro e agora estou na melhor universidade do Brasil Rebeca Nilsen, aprovada na USP

Galileo Vestibulares | Área do Aluno

X