confira dicas para a prova de geografia


O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) começa no próximo dia 17. No primeiro dia da prova, o candidato terá, além da redação e da prova de linguagens, a prova de ciências humanas, da qual cerca de 18 questões serão de geografia.

Apesar do grande volume de conteúdos sobre a disciplina, o Enem disponibiliza uma matriz de referência para listar as competências e habilidades que o candidato vai precisar desenvolver ao longo da prova.

Consultar a matriz e refazer provas anteriores são os passos valiosos para fazer a prova com mais segurança. Veja, a seguir, outras dicas específicas para a prova de geografia do Enem.

1 – Conteúdo em textos que parecem de outra disciplina

Como as questões de geografia estão dentro da prova de ciências humanas, não há uma subdivisão clara sobre onde começa a geografia e onde termina a história, a sociologia e outras disciplinas.

Por isso, algumas questões podem apresentar um texto literário, mas com um trecho em destaque que aponte características geográficas sobre uma região do Brasil.

Na ansiedade da prova, o candidato pode bater o olho e assumir que não se trata de uma questão de geografia, se confundindo ou perdendo um tempo precioso na pergunta.

2 – Atenção para o que a questão pede

O candidato precisa ler com calma cada pergunta e ficar atento ao que a questão de fato exige de conhecimento e interpretação.

“Às vezes o aluno vê um hachurado no mapa apresentado e já assume que a resposta é sobre aquele hachurado, mas a pergunta pode ser sobre uma região ao lado, por exemplo”, diz Vera Lúcia Antunes, coordenadora de geografia do Objetivo.

Além disso, as alternativas podem trazer informações corretas em relação ao texto pedido, mas que não têm a ver com a pergunta.

3 – Entenda o que os gráficos mostram

É possível que o candidato bata o olho em um gráfico e já assuma do que se trata. Apesar do tempo curto de prova, é preciso interpretar com calma o significado do que está sendo mostrado.

Outras informações também podem ser especialmente úteis como o título do gráfico, a legenda, eventuais unidades de medida e a data do gráfico, facilitando a interpretação.

4 – O Enem gosta de interdisciplinaridade

Os conteúdos no Enem não costumam estar em caixinhas separadas e sem conexão entre si.

Na geografia —que trabalha com temas tão diferentes quanto fenômenos naturais e geopolítica—, a forma de apresentação dos conteúdos costuma ser interdisciplinar.

Espera-se a habilidade de colocar as informações em contexto.

“O exame pode falar sobre um abalo sísmico no Haiti, temática da geografia física, mas perguntar sobre as consequências socioeconômicas sofridas, por exemplo”, aponta Adriano Bezerra, professor de geografia da Organização Educacional Farias Brito. “A contextualização dos assuntos da geografia é muito importante”, completa.



Fonte

Com professores super atenciosos, o cursinho me abriu uma porta para o futuro e agora estou na melhor universidade do Brasil Rebeca Nilsen, aprovada na USP

Galileo Vestibulares | Área do Aluno

X