“Cringe” e outros temas atuais marcam primeira fase da Unicamp


A Unicamp realizou neste domingo a primeira fase do vestibular 2021. Encerrada às 18h, a prova trouxe questões sobre temas atuais como fake news na pandemia, comunidade LGBTQIA+ e o sentido do termo “cringe”, que viralizou na internet recentemente.

“Nossa prova manteve a tradição de abordar temas contemporâneos que interessam ao debate social pela ótica de diferentes disciplinas”, afirmou Marcia Souza, coordenadora acadêmica da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares).

“Sempre abordamos expressões muito reproduzidas e ‘cringe’ foi uma dessas. A ideia era ver como seu sentido está registrado no dicionário e como ele tem sido apropriado pelos usuários da língua. Explorar não apenas seu significado, mas mostrar que ele se move”. disse ela.

De acordo com a instituição, a divulgação do gabarito oficial acontece na próxima quarta-feira. Em parceria com o Objetivo, o UOL faz a correção comentada do exame.

Para Luís Gustavo Megiolaro, diretor-adjunto de Unidades Escolares do Poliedro, a prova explorou bem a capacidade de leitura e interpretação de gráficos, tabelas e textos dos alunos não só nas ciências humanas, mas em todas as disciplinas.

“Com o tempo disponível, dava para fazer a prova tranquilamente. Mas acredito que a sensibilidade da Unicamp em acrescentar esta 1 hora foi muito por conta do perfil que a prova teve como um todo”, comentou ele.

A coordenadora da Comvest confirmou que a intenção da universidade foi esta ao ampliar o tempo de prova.

“Nós tivemos 1 hora a mais para que os alunos pudessem ler adequadamente os textos”, disse Marcia, em entrevista coletiva após a realização do exame.

Biologia, física, geografia, história, inglês, língua portuguesa, literatura, matemática e química foram as disciplinas abordadas nas 72 questões de múltipla escolha.

De acordo com José Alves de Freitas Neto, diretor da Comvest, apenas 7,7% dos inscritos não apareceram para fazer a prova. “Foi o nosso menor índice de abstenção desde 2014”, comentou ele.

Humanas

Em geografia, foram explorados temas como importação, exportação, urbanismo e geofísica. Megiolaro destaca a grande quantidade de questões relacionadas ao continente africano.

Em história, escravidão, indígenas, história da América e monarquia foram alguns dos tópicos abordados.

Exatas

“A prova de matemática trouxe algumas imagens, esquemas e textos, o que é uma novidade em relação aos anos anteriores”, afirmou Megiolaro.

Uma das questões abordava a taxa de imunização da população contra o coronavírus, por exemplo. Nela, era preciso calcular o número de pessoas necessário para que a pandemia ficasse sob controle no país.

Além disso, álgebra, geometria, porcentagem, probabilidade e equações de primeiro e segundo grau também marcaram presença.

Segundo Megiolaro, o exame de física exigiu que os candidatos fizessem contas e explorou conceitos clássicos da disciplina, como aceleração e velocidade – assim como sua relação com assuntos do presente, como o espaço e outros temas.

Linguagens

“A prova praticamente não teve gramática. Foi uma prova somente de interpretação de textos”, afirmou Megiolaro sobre a prova de linguagens.

Uma das questões da prova de linguagens abordava o neologismo “roça-office”, aplicado aos trabalhadores que trocaram metrópoles por cidades pequenas durante a pandemia.

Entre os textos citados no exame, estavam os textos “O Marinheiro”, de Fernando Pessoa, e “As Ondas”, de Olavo Bilac – além de sonetos de Camões e trechos do romance “O Ateneu” e de obras de Machado de Assis.

O termo “cringe”, que viralizou na internet em 2021, foi tema de uma das questões da prova de inglês. O enunciado pedia aos estudantes que o traduzissem.

“Não bastava o aluno saber inglês, ele também tinha que interpretar muito bem”, comentou Megiolaro sobre o exame.

Na parte de interpretação de texto, o discurso do ator Joaquim Phoenix, por ocasião da conquista do Oscar de melhor ator pela atuação como Coringa, foi abordado.

Biológicas

“Foi uma prova que não exigiu muitas contas do candidato, muito interpretativa”, afirmou Megiolaro sobre a prova de química.

Segundo ele, as questões não exigiam contas para serem respondidas e abordavam tópicos das químicas orgânica e inorgânica.

Já o exame de biologia chamou a atenção pelo grande volume de texto e questões ligadas a coronavírus e meio ambiente.

“Em relação ao ano passado, foi um pouco mais difícil”, disse Megiolaro. “Com certeza, muitos alunos gastaram um tempinho na questão de cladograma, que era grande e exigia uma boa capacidade leitora”, acrescentou ele.

Próximas datas

  • Divulgação aprovados para a segunda fase, locais de prova e notas de corte – 13 de dezembro
  • Segunda fase – 9 e 10 de janeiro
  • Provas de habilidades específicas – 13 a 15 de fevereiro
  • Divulgação da lista de convocados da 1ª chamada – 14 de fevereiro



Fonte

Com professores super atenciosos, o cursinho me abriu uma porta para o futuro e agora estou na melhor universidade do Brasil Rebeca Nilsen, aprovada na USP

Galileo Vestibulares | Área do Aluno

X