No Senado, presidente do Inep nega acesso prévio ao Enem 2021


O presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Danilo Dupas, negou que ele e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, tiveram acesso prévio ao Enem 2021. Ele participa hoje de audiência pública no Senado para explicar o pedido de exoneração de mais de 30 servidores do instituto.

A justificativa acontece após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dizer que agora a prova começa a ter “a cara do governo”. Ao Fantástico, da TV Globo, servidores afirmaram que o diretor de Avaliação de Educação Básica do Inep, Anderson Oliveira, teria pedido a remoção de mais de 20 questões da primeira versão do exame 2021.

“Sobre a interferência nas provas do Enem, o senhor ministro da Educação, Milton Ribeiro, e eu não tivemos em nenhum momento acesso às provas”, explicou Dupas.

O presidente do Inep disse também que “é comum” ocorrer uma troca entre as questões durante a montagem da prova. “As provas foram montadas pela equipe técnica, seguindo a metodologia que vem sendo adotada, a Teoria de Resposta ao Item. A prova possui um conjunto de questões de diversos níveis de dificuldade que são calibradas para garantir um certo nível de prova”, afirmou.

Na semana passada, o UOL noticiou que um agente da Polícia Federal foi ao Inep para vistoriar a produção da prova. Embora o exame seja feito sob segurança e em sigilo, Dupas afirmou, na Comissão de Educação da Câmara, que a visita é um “procedimento esperado”.

Demissão coletiva

A duas semanas do Enem, mais de 30 funcionários do órgão entregaram seus cargos citando a “fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima do Inep“. No Senado, Dupas afirmou que “não há uma resposta única” para todas as exonerações.

Em uma reunião em abril deste ano, revelada pelo UOL, com o presidente do Inep e servidores, Ribeiro disse que a política do MEC “deve vir e tem que vir em consonância com a visão educacional, do projeto, do senhor presidente da República”.

Durante a audiência hoje, Dupas voltou a afirmar que o Enem não será prejudicado e os alunos podem ficar “tranquilos”.

Oposição pede afastamento do presidente do Inep

Deputados da oposição pediram o afastamento cautelar de Dupas ao TCU (Tribunal de Contas da União). O líder da Oposição na Câmara, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou que o objetivo das medidas é garantir a “integridade do exame, e a prevalência de critérios técnicos e não ideológicos”.

O grupo também protocolou um pedido de auditoria permanente de acompanhamento e gestão do órgão ligado ao MEC (Ministério da Educação.



Fonte

Com professores super atenciosos, o cursinho me abriu uma porta para o futuro e agora estou na melhor universidade do Brasil Rebeca Nilsen, aprovada na USP

Galileo Vestibulares | Área do Aluno

X