Protestos em Cuba – Brasil Escola


Cuba começou a ser palco, há dez dias, de um dos maiores protestos da população nos últimos 62 anos, desde que a Revolução Cubana foi implantada em 1959, pelo ditador Fidel Castro.

As manifestações iniciaram na manhã do dia 11 de julho, quando milhares de cubanos se reuniram nas ruas contra o governo do presidente Miguel Díaz-Canel. Os encontros dos cubanos começaram na pequena cidade de San Antonio de los Baños, no sudeste da capital Havana.

Os protestos foram transmitidos ao vivo por meio das redes sociais. Em pouco tempo, cubanos de várias regiões do país também decidiram protestar. O descontentamento da população com o governo ganhou adesão de artistas, famosos, jornalistas, influencers, etc.

Hashtags tomaram força nas redes, tais como #SOSCuba, #SOSMatanzas e #SalvemosCuba. Cubanos que vivem no exterior se solidarizaram com os acontecimentos no país e também saíram às ruas, como na Flórida, nos Estados Unidos, e em Barcelona, na Espanha, por exemplo. 

Veja abaixo os principais motivos dos protestos de Cuba:

Crise sanitária

O país conteve a Covid-19 no ano passado, mas os últimos números da pandemia do coronavírus registraram recordes diários de casos e mortes. Os hospitais também estão superlotados e pessoas têm denunciado que familiares morreram sem receber atendimento. Cuba desenvolveu sua própria vacina contra a Covid-19, mas a aplicação do imunizante ainda está aquém do desejado.

Crise econômica

Com a pandemia, o turismo, principal fonte de renda do país, sofreu queda drástica. Além disso, Cuba atravessa já há tempo uma das maiores crises econômicas desde os anos 1990 após o fim da União Soviética. O país enfrenta escassez de alimentos, medicamentos, produtos básicos, como de limpeza, e combustíveis. Há, ainda, apagões de energia que duram horas.

Outro ponto é a inflação econômica. Por causa desse aumento, o governo abriu casas de dólar, o que não é visto com bons olhos pela população, uma vez que a maioria recebe o salário com a moeda local. Atualmente, o peso cubano vale 24 dólares.

Descontentamento com o regime

Os manifestantes cubanos que foram às ruas são contra o Pardido Comunista Cubano por acreditar que ele não atende mais as necessidades da população. Essa parcela de protestantes pede menos centralização do poder e uma sociedade mais democrática. Os manifestantes solicitam ainda ajuda internacional, intervenção humanitária e liberdade. 

Bloqueio da Internet

Depois que as manifestações foram transmitidas pelas redes sociais, a internet parou de funcionar em diversos locais de Cuba e as redes sociais foram bloqueadas. O governo tomou essas medidas para limitar as informações no país e evitar que novos protestos fossem organizados. Vale destacar que a internet chegou ao país em 2015, mas passou a ser usada de forma móvel somente no final de 2018. 

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Manifestação em apoio a cubanos realizada em 14 de julho na Flórida (EUA)/ Crédito: Shutterstock 

Governo

Pouco tempo depois das primeiras manifestações, centenas de cubanos saíram às ruas para defender o governo, a pedido do presidente Miguel Díaz-Canel. A solicitação foi transmitida por todas as redes de rádio e televisão de Cuba.

O governante disse que os protestantes queriam fragmentar a unidade do povo cubano e desacreditar na revolução cubana. Além disso, Díaz-Canel afirmou que os manifestantes eram agentes a serviço dos Estados Unidos. 

Leia também: reaproximação entre Cuba e os Estados Unidos

Sobre a interrupção da internet, o presidente de Cuba ressaltou que, desde que internet foi massificada no país há três anos, canais de informação alternativos aos meios de comunicação oficiais do país foram criados.

Cuba nos vestibulares e no Enem

Geralmente, as provas dos vestibulares cobram temas da atualidade, por isso é importante que você, estudante, fique atento aos desdobramentos dos protestos de Cuba. Outros assuntos que estão relacionados à história da ilha também podem ser trabalhados, inclusive no Enem. 

=>Revolução Cubana: ocorrido em 1959, o evento foi um processo revolucionário liderado por Fidel Castro e outros guerrilheiros e visava à derrubada da ditadura de Fulgêncio Batista.

=>Crise dos Mísseis: em 1962, em um dos acontecimentos mais marcantes da Guerra Fria, a URSS decidiu enviar a Cuba mísseis de longo alcance capazes de carregar ogivas nucleares. O evento deixou o mundo alerta sobre a ocorrência de uma eminente guerra nuclear.

=>Invasão da Baía dos Porcos: a invasão da ilha cubana por tropas comandadas pelo governo dos EUA, em 1961, foi uma tentativa de desestabilizar o regime recém-instaurado por Fidel Castro, tentando garantir os interesses financeiros dos estadunidenses na ilha.

=>Fidel Castro: líder da Revolução Cubana, o ditador assumiu a liderança de Cuba aos 32 anos sob a promessa de garantir a estabilidade do país e implantar um regime democrático. Castro permaneceu no poder por quase 50 anos. O ditador morreu em 25 de novembro de 2016.



Fonte

Com professores super atenciosos, o cursinho me abriu uma porta para o futuro e agora estou na melhor universidade do Brasil Rebeca Nilsen, aprovada na USP

Galileo Vestibulares | Área do Aluno

X